CDU apresenta propostas alternativas

A Câmara Municipal de Loures aprovou na passada sexta-feira, dia 26 de Novembro de 2010, com os votos contra da CDU, o Orçamento Municipal para 2011 e as Opções do Plano 2011-2014.
A CDU não se limitou a criticar o documento da maioria tendo apresentado propostas concretas, em documento remetido ao Presidente da Câmara ao abrigo do Estatuto do Direito de Oposição, que visavam dar resposta às necessidades do Concelho e da sua população. Essas propostas foram rejeitadas pela maioria do Partido Socialista.
O Orçamento de 2011 e Opções do Plano 2011-2014 propostos pela maioria PS à Câmara Municipal de Loures, em coerência com o documento aprovado no ano transacto, assentam num conjunto de pressupostos com os quais a CDU não pode concordar:

 

 

Baseiam-se, no que diz respeito à receita, na aplicação das taxas máximas dos impostos directos, nomeadamente IMI, sobrecarregando as famílias do nosso concelho. Ainda assim, a execução da receita “ameaça” ficar bem abaixo do previsto, criando uma situação de profundo desequilíbrio financeiro.

Esta situação será agravada pelos compromissos já assumidos para o período 2014-2017, quando terá de ser liquidado o empréstimo de 39 milhões de euros contraído pelo Município em 2010.

- Numa clara prova de que o investimento previsto está longe de ser bom investimento, a CDU sublinha que é com este empréstimo que serão executadas as vias de acesso ao futuro Hospital de Loures, que caberia ao Grupo Espírito Santo executar.

- Por outro lado, a Câmara Municipal propõe-se, em vez de reduzir custos estruturais e ao contrário do que afirma, transferir para as Juntas de Freguesia e os agentes sociais, culturais e desportivos, o fardo da “crise”.

Entretanto, as dividas a fornecedores, a caminho dos 40 milhões de euros continuam a agravar-se.

A CDU, na Câmara e Assembleia Municipal, tem procurado, com seriedade e responsabilidade, apresentar propostas, com o objectivo de melhorar as condições de vida e trabalho em Loures.

Neste quadro, definimos como prioridade estratégica a área de “Mobilidade e Transportes, Rede Viária e Estacionamento”. Como resposta ao abandono do investimento na extensão do Metro a Loures e Sacavém, propusemos um conjunto de alternativas, com vista a permitir um melhor acesso às actuais estações, bem como às de Moscavide e Encarnação. Propusemos ainda, um conjunto de soluções que visam uma profunda melhoria nas condições de mobilidade em Loures. Propusemos igualmente que, no quadro actual, fosse analisada a extinção da Loures Parque. Pese embora o abandono que o PS no Governo, silenciosamente secundado pelo PS Loures, fez da vinda do Metro a Loures e à Portela e Sacavém, reafirmamos a nossa firme vontade de continuar a luta para que seja possível,  no mais curto prazo, a existência de um modo de transporte, capaz de dar resposta às necessidades das dezenas de milhar de pessoas que, diariamente se deslocam para Lisboa, em boas condições de comodidade e de forma ambientalmente sustentável.

Também no que diz respeito à Educação, estando de acordo com a prioridade estratégica definida para esta área, consideramos que a Câmara Municipal, a exemplo das restantes Câmaras Municipais, não pode aceitar a desresponsabilização do Ministério da Educação, e suportar, com o seu orçamento, despesas que não são da sua responsabilidade. Para tal, propomos uma avaliação séria e rigorosa da execução do contrato com o Ministério.

A proposta de Orçamento e Grandes Opções do Plano continua a não conter qualquer medida coerente de apoio ao desenvolvimento económico, a não ter qualquer perspectiva relativa à reabilitação urbana, a ignorar qualquer acção que contribua para a sustentabilidade energética.

O Orçamento e Grandes Opções do Plano que a Câmara Municipal acabou de aprovar será executado por uma estrutura que não corresponde a uma visão estratégica para Loures, como tivemos ocasião de expressar, aquando da discussão recente sobre este tema.


CDU apresenta proposta alternativas

A CDU como força política responável e posuidora de um projecto para o Concelho apresentou um conjunto de propostas concretas para o Orçamento Municipal e Opções do Plano 2011-2014, que visavam dar resposta às necessidades do Concelho e da sua população.Tais propostas foram rejeitadas pela maioria do Partido Socialista.

Veja aqui as propostas apresentadas pela CDU»»

Portanto, a CDU está, cada vez mais preocupada com o caminho para onde a maioria está a empurrar o território e as pessoas do 5º município de Portugal.

Share/Save/Bookmark
 

FACEBOOK

SAIU O AVANTE

ADERE AO PCP

adere_orl_pcp_2014.jpg

NEWSLETTER



Receber em HTML?

PROCURAR NA PÁGINA